REPÚBLICA BANANA PEOPLE

Publique sua OPINIÃO Sem CENSURA! DENÚNCIE! Seja Um Colaborador!

Archive for the ‘Econômia’ Category

Os sindicatos de oposição lançam uma greve geral na Argentina

Posted by REPÚBLICA BANANA PEOPLE em agosto 28, 2014

Três centrais sindicais e os partidos da esquerda organizam piquetes e paralisam linhas de metrô

Uma manifestação em Buenos Aires na quarta-feira. / J. MABROMATA (AFP)

Três das cinco centrais sindicais argentinas, as três identificadas com a oposição ao Governo da peronista Cristina Kirchner, se uniram nesta quinta-feira numa greve geral de protesto contra a crise econômica que assola o país. Uma delas, a ala opositora da esquerdista Central de Trabalhadores da Argentina (CTA), iniciou a paralisação ao meio-dia da quarta-feira e organizou uma manifestação que partiu da praça de Maio, diante da Casa do Governo, e foi até o Congresso.

Manifestantes da ala opositora da CTA e dos partidos trotskistas, que ganharam peso nas últimas eleições legislativas e nos comitês de empresa de várias indústrias à medida que o kirchnerismo foi sofrendo desgastes, também aderiram à greve de 36 horas e ao protesto de rua com piquetes em sete estradas de acesso a Buenos Aires na manhã da quarta-feira. Mas a greve está maior nesta quinta-feira, com a participação das duas divisões opositoras e da poderosa Confederação Geral do Trabalho (CGT). Estão parados caminhões, trens, uma linha de metrô, ônibus interurbanos, aviões, bancos, restaurantes, tribunais, postos de combustíveis, portos, a coleta de lixo e as bilheterias dos estádios de futebol. Os ônibus urbanos estão circulando, mas as vias de acesso à capital estão novamente bloqueadas por protestos.

O sindicalismo oposicionista pede que o Governo proíba por um ano as demissões e suspensões nas empresas. No segundo trimestre de 2014 o desemprego subiu para 7,5%, contra 7,2% um ano antes. A economia permaneceu estagnada em junho, o último mês medido, e a inflação já chega a 31,2% ao ano, segundo números oficiais. O próprio Executivo admitiu que os sindicatos pactuaram este ano um reajuste salarial médio de 29,7%. Por isso os opositores pedem a reabertura das negociações salariais, considerando que os preços subiram acima do previsto no início do ano. Reivindicam também que os assalariados deixem de pagar o imposto de renda, algo que o Governo dificilmente poderá aceitar, de modo que a discussão mais realista será de um ajuste do imposto segundo a inflação.

A presidenta enfrenta a sua terceira greve

Cristina Kirchner enfrenta a terceira greve contra seu Governo; as anteriores foram em 2012 e em abril passado, já em plena recessão.

A forte alta do dólar no pequeno porém influente mercado do câmbio ilegal, até chegar na quarta-feira a 14,38 pesos por dólar, 71% acima do câmbio oficial, também reaquece a expectativa de desvalorização do peso, o que elevaria a inflação ainda mais. A tensão cambial reapareceu na Argentina depois da depreciação do peso em janeiro passado, diante da crise de dívida iniciada em 30 de julho. Mais preocupado agora com uma desvalorização, o Banco Central precisou cancelar a recente redução dos juros para infundir ânimo na economia.

A jornada da quarta-feira começou em Buenos Aires com piquetes que dificultaram, mas não impediram a chegada de carros, caminhões e ônibus dos subúrbios até o centro da cidade. A Gendarmaria Nacional ameaçou desocupar uma rodovia e conseguiu que os manifestantes liberassem o trânsito em algumas das pistas. O secretário de Segurança da Argentina, Sergio Berni, não descartou outras intervenções policiais para desativar nesta quinta os mais de mil bloqueios prometidos em todo o país.

Os piquetes

Na tarde de quarta-feira os piquetes de trotskistas se uniram à CTA opositora, bem representada na administração pública, em uma passeata pelo centro de Buenos Aires. Horas antes também tinham se manifestado ali, mas em paralelo com a greve, as centenas de famílias despejadas no sábado passado de um bairro de barracos na capital pelas forças de segurança do Governo de Kirchner e da prefeitura chefiada pelo conservador Maurício Macri, candidato presidencial nas eleições de 2015.

O líder de uma das CGTs, Hugo Moyano, que foi kirchnerista até 2011, nesta quarta-feira responsabilizou o Executivo por qualquer incidente que venha a ocorrer na quinta-feira. Seu colega da CTA opositora Pablo Micheli não hesitou em recorrer a ofensas para criticar os sindicalistas da CGT e CTA kirchneristas, que representam amplos setores de trabalhadores, chamando-os de “cagões” (medrosos) por não aprovarem a greve. Algumas partidas da Primeira Divisão de futebol seriam suspensas nesta quinta-feira, mas no último momento os clubes decidiram seguir adiante com elas, talvez para evitar desgastes com o Governo de Kirchner, que os subvenciona indiretamente com a transmissão de todos os jogos pela televisão estatal.

Sindicalistas kirchneristas reconheceram problemas como a inflação e a necessidade de atualizar o imposto de renda, mas consideram que esta não é boa hora para pressionar o Governo, em plena disputa com a justiça dos EUA pelo não pagamento da dívida. Nesta quarta-feira, por sinal, uma comissão do Congresso aprovou o projeto de lei para oferecer aos credores dos EUA, Europa e Japão a possibilidade de receber os valores que lhes são devidos na Argentina, de modo a evitar o bloqueio judicial norte-americano que obriga Buenos Aires a pagar primeiramente os chamados fundos abutre que rejeitaram a reestruturação do passivo em 2005 e 2010, antes de aquela maioria dos credores a terem aceitado.

Um dia antes, outra comissão do Parlamento tinha aprovado uma reforma da lei de abastecimento, que elevará os controles de preços e o fornecimento do Estado sobre as grandes empresas. Paralelamente, o Governo esclareceu que não proibiu a exportação de carne bovina, mas a racionou para reduzir os preços internos do prato preferido dos argentinos. E nesta quarta-feira o Congresso sancionou uma lei que dará a 500.000 idosos pobres acesso a uma pensão. Todas essas medidas mostram que Kirchner descarta ficar de braços cruzados diante da crise e que vai aplicar sua receita para fazer frente a ela. A greve desta quinta será a terceira greve geral a confrontar a presidenta. A primeira foi em 2012 e a mais recente, em abril passado. http://brasil.elpais.com/brasil/2014/08/28/economia/1409180751_473694.html

Posted in Econômia, MUNDO, Politica, Sociedade | Leave a Comment »

Enquanto Não Foi Pego Diretor da Petrobras Achava Tudo Ótimo!

Posted by REPÚBLICA BANANA PEOPLE em agosto 24, 2014

Advogada diz que ex-diretor da Petrobras está em ‘momento difícil’

Depois de ter recurso negado pelo STF, Paulo Roberto Costa considera delação premiada para sair da prisão Carlos Ivan / Agência O Globo

SÃO PAULO – A nova advogada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, Beatriz Catta Preta, disse neste sábado que seu cliente “está pessoalmente em um momento difícil”. Segundo Beatriz, um dos motivos que o levou a considerar a delação premiada como alternativa foi o indeferimento pelo Supremo Tribunal Federal (STF), na quinta-feira, de reclamação apresentada por sua defesa, questionando o Juízo de Curitiba (PR) como foro dos processos e pedindo sua libertação. O recurso foi negado pelo ministro Teori Zavascki, o mesmo que havia libertado Costa em maio deste ano.

– Pessoalmente ele está em momento difícil. Havia uma reclamação em andamento no STF, ela foi indeferida na quinta-feira. Ele recebeu essa notícia e ficou bastante chateado. Ele tinha muita esperança nesse recurso. Agora vamos iniciar uma nova linha de trabalho, seja a defesa em colaboração ou o que quer que a gente defina – disse ao GLOBO Beatriz, que se tornou advogada de Costa na última sexta-feira.

O recurso ao Supremo havia sido apresentado em abril deste ano pelo antigo defensor, Nélio Machado, que deixou o caso nesta semana depois de seu cliente demonstrar disposição em negociar a delação premiada com o Ministério Público, recurso no qual um réu fornece informações para a Justiça em troca de uma pena menor ou mesmo o perdão judicial. Machado deixou o caso porque não concorda com a estratégia, considerada controvertida em meios jurídicos.

A nova advogada de Costa tem experiência em casos com uso do recurso, como a delação do investidor Lúcio Bolonha Funaro, no processo do mensalão federal. Na última sexta-feira, ela teve um encontro de aproximadamente 30 minutos com seu cliente, mas nega que já tenha iniciado tratativas sobre delação com o Ministério Público Federal (MPF), primeiro passo de uma eventual opção pelo recurso. Segundo ela, ainda caberá ao seu cliente “bater o martelo” pela delação.

– Ele ainda não está decidido. Esta é uma escolha muito pessoal, muito subjetiva. Tem que partir da pessoa (a decisão), a delação tem um ônus grande, apresenta prós e contras. O colaborador busca benefícios. Por outro lado, tem que apontar pessoas, fatos, é uma decisão que só o réu pode tomar – disse a advogada, que voltará a Curitiba no início da próxima semana para discutir a defesa com Costa. O ex-dirigente tem dividido decisões sobre sua estratégia de defesa com a mulher, as filhas e os genros, grupo que fez contato com a nova advogada do caso. Segundo Beatriz, seu cliente demonstrou “calma” durante a primeira reunião que tiveram, mas, ainda assim, se queixou do seu quadro atual:

Publicidade

– Essa situação dele estar preso há quase 200 dias é realmente complicada – disse a advogada, considerando o período desde a primeira prisão do ex-diretor da Petrobras. Além de ser submetido ao crivo do MPF, um acordo de delação precisaria ser homologado pela Justiça Federal. O benefício ao réu seria medido pelo nível de informações trazidas na condição de colaborador. Paulo Roberto Costa foi indicado para o cargo, em 2004, no primeiro governo de Lula, pelo Partido Progressista (PP), mas manteve trânsito no PT e no PMDB até 2012, ano em que deixou o cargo, já no governo de Dilma Rousseff. Neste período, manteve contato com as principais fornecedoras da Petrobras, entre elas as maiores empreiteiras do país. Thiago Herdy – Read more: http://oglobo.globo.com/brasil/advogada-diz-que-ex-diretor-da-petrobras-esta-em-momento-dificil-13708553#ixzz3BJHBfGR1

Posted in Econômia, MUNDO, Politica, Profissões, Sociedade | Leave a Comment »

A Chapa Vai Esquentar!

Posted by REPÚBLICA BANANA PEOPLE em agosto 22, 2014

Ex-diretor da Petrobras preso na Operação Lava-Jato decide fazer delação premiada

Doleiro Alberto Youssef deve anunciar segunda-feira se também vai aderir a acordo com a Justiça

SÃO PAULO — O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, está oferecendo à Justiça Federal do Paraná fazer um depoimento em regime de delação premiada, quando falaria tudo o que sabe sobre contratos com a Petrobras. Nesta sexta-feira, Paulo Roberto Costa se reuniu com a advogada Beatriz Lessa da Fonseca Catta Preta na sede Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde está preso, e a acertou que vai encaminhar o pedido formalmente.

O doleiro Alberto Youssef, outro preso durante a operação Lava-Jato, também deve aderir à delação premiada nos próximos dias. A decisão deve ser anunciada na segunda-feira, segundo o advogado do doleiro, Antônio Figueiredo Basto.

— Não recomendo essa estratégia. Acho que ainda há teses processuais que podem ser esgotadas. Mas isso demoraria muito tempo, e ele esperaria preso — disse Basto ao GLOBO. — Desaconselho o acordo com a Justiça, mas compreendo completamente. Conversei muito com meu cliente hoje, e uma decisão deve sair na segunda-feira. É uma decisão pessoal .

A decisão tomada por Paulo Roberto da Costa descontentou seu atual advogado, Nélio Machado, que soube da delação nesta sexta-feira.

— Não concordo com a decisão da delação premiada e por isso pretendo deixar a causa. Afinal, ontem (quinta-feira) ainda impetrei habeas corpus pedindo a libertação do meu cliente e acredito que não cometeu nenhum crime e por isso não posso concordar com a delação premiada — disse Nélio Machado ao GLOBO.

A advogada Beatriz Catta Preta, que se reuniu com Costa nesta sexta, é especialista em delação premiada. O GLOBO não conseguiu falar com ela no escritório e nem em sua casa.

Publicidade

Veja Também

Com a delação premiada, Paulo Roberto Costa pode negociar redução de pena e até pedir que seus parentes, como filhas e genros, não sejam envolvidos nos processos que ele responde. O ex-diretor da Petrobras percebeu que pelo encaminhamento das ações contra ele, dificilmente deixará de ter pesadas condenações. Ele estaria disposto a falar tudo o que sabe, o que deve envolver outros dirigentes da Petrobras e também de políticos que teriam se beneficiado pelo esquema que ele montou.

Além de Paulo Roberto Costa, o doleiro Alberto Youssef também está indiciado no esquema que movimentou mais de R$ 10 bilhões.

PF FAZ OPERAÇÃO NESTA SEXTA-FEIRA

A Polícia Federal cumpriu nesta sexta-feira, no Rio, 12 mandados na sexta fase de diligências da Operação Lava-Jato, sendo 11 deles de busca e apreensão e um de condução coercitiva – quando a pessoa é obrigada a prestar depoimento – em empresas vinculadas ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, e seus familiares. No início da tarde, três carros da operação chegaram à Superintendência da Polícia Federal com os malotes de documentos apreendidos nas empresas suspeitas de ligação com o ex-diretor da estatal.

(Infográfico: as ligações do doleiro Alberto Youssef)

As medidas foram requeridas ao juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba pelos integrantes da Força Tarefa do Ministério Público Federal, em trabalho conjunto com a Polícia Federal. Um sócio do genro de Costa seria ouvido pelo suposto empréstimo de dinheiro a ele, o qual foi apreendido posteriormente com o executivo em casa.

Publicidade

ENTENDA A LAVA-JATO

A Polícia Federal indiciou 46 pessoas por lavagem de dinheiro e evasão de divisas, entre elas o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef. O ex-diretor da Petrobras e o doleiro atuaram juntos na área de consultoria a empresas que têm negócios com a Petrobras. Dono da empresa Costa Global, Paulo Roberto Costa havia se associado a Youssef para a compra da Ecoglobal, empresa que obteve um contrato de R$ 443,8 milhões com a estatal, segundo a investigação. Esse contrato foi apreendido na sede da Petrobras.

Pelas investigações da PF, Youssef e outros três doleiros movimentaram aproximadamente R$ 10 bilhões de forma atípica. Alguns indiciados foram apontados também por corrupção, formação de quadrilha e tráfico de drogas. Germano Oliveira e Tiago Dantas – Read more: http://oglobo.globo.com/brasil/ex-diretor-da-petrobras-preso-na-operacao-lava-jato-decide-fazer-delacao-premiada-13701418#ixzz3BAmxkBde

Posted in Econômia, MUNDO, Politica | Leave a Comment »

Enriquecimento Ilícito da Canalhada Muda de Mãos Antes de Bloqueio de Bens!

Posted by REPÚBLICA BANANA PEOPLE em agosto 20, 2014

Graça Foster e Cerveró doaram imóveis após estourar escândalo sobre Pasadena

Bens mudaram de mãos antes de o TCU determinar o bloqueio do patrimônio de dez gestores da Petrobras

Graça Foster doou imóveis a parentes após estouro de escândalo sobre compra de Pasadena – Domingos Peixoto / Agência O Globo
BRASÍLIA – A presidente da Petrobras, Graça Foster, e o ex-diretor da Área Internacional da estatal Nestor Cerveró doaram imóveis a parentes após estourar o escândalo sobre a compra da refinaria de Pasadena, no Texas, como mostram registros em cartório obtidos pelo GLOBO no início da tarde desta quarta-feira. A movimentação envolve apartamentos em áreas valorizadas do Rio.

Os bens mudaram de mãos antes de o Tribunal de Contas da União (TCU) determinar o bloqueio do patrimônio de dez gestores da Petrobras apontados como responsáveis por um prejuízo de US$ 792,3 milhões na compra da refinaria. O bloqueio foi determinado no dia 23 de julho justamente para garantir que os bens não sejam movimentados pelos gestores e possam garantir o ressarcimento aos cofres da estatal.

Na sessão em plenário desta quarta, os ministros do TCU vão decidir se Graça também terá o patrimônio bloqueado, uma vez que ela acabou excluída da primeira decisão por conta de um erro. O Palácio do Planalto opera para que a presidente não seja atingida pela medida. O advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, que fez a defesa de Graça em plenário, já declarou que o bloqueio inviabilizaria a permanência de Graça no cargo. Os documentos oficiais obtidos pela reportagem revelam que, em 20 de março deste ano, Graça doou “com reserva de usufruto” um apartamento em Rio Comprido a Flavia Silva Jacua de Araújo, tendo Colin Silva Foster como interveniente. No mesmo dia, a presidente da Petrobras fez uma doação semelhante a Flavia e a Colin de um imóvel na Ilha do Governador.

O ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, durante depoimento na CPI – Givaldo Barbosa / Agência O Globo

No dia 19 de março, um dia antes das transações feitas por Graça, veio a público um posicionamento da presidente Dilma Rousseff de que apoiou a compra da refinaria de Pasadena por conta de um “parecer falho” elaborado por Nestor Cerveró. Era o início de uma crise que resultou na instalação de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) no Congresso Nacional. Dilma, como presidente do Conselho de Administração da Petrobras em 2006, votou a favor da aquisição da primeira metade da refinaria. No processo em curso no TCU, os ministros a eximiram de responsabilidade no negócio. Graça ainda fez uma “doação com reserva de usufruto” a Colin em 9 de abril deste ano. Trata-se de um imóvel na Praia de Manguinhos, com direito a uma vaga de garagem.

Cerveró, por sua vez, doou três apartamentos a parentes em 10 de junho, 45 dias antes de o TCU determinar o bloqueio de seus bens e de mais nove gestores da Petrobras. Cerveró doou um apartamento na Rua Prudente de Moraes a Raquel Cerveró; outro apartamento no mesmo prédio a Bernardo Cerveró; e um apartamento na Rua Visconde de Pirajá, também a Bernardo Cerveró. Vinicius Sassine e Eduardo Bresciani – Read more: http://oglobo.globo.com/brasil/graca-foster-cervero-doaram-imoveis-apos-estourar-escandalo-sobre-pasadena-13671666#ixzz3AxZPBLvI

TCU vai investigar se houve ‘dissimulação de patrimônio’ de Graça e Cerveró

Auditores pedirão certidões aos cartórios; oposição pede anulação de doações e demissão da presidente da Petrobras

Augusto Nardes, presidente do TCU – O Globo / Ailton de Freitas/26-09-2013
BRASÍLIA — O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, determinou nesta quinta-feira que os auditores responsáveis pelo processo sobre a refinaria de Pasadena solicitem aos cartórios do Rio os registros das doações de imóveis a parentes feitas pela presidente da Petrobras, Graça Foster, e pelo ex-diretor Nestor Cerveró. Nardes se reuniu ontem, no Rio, com o secretário de Controle Externo de Estatais do TCU, Osvaldo Perrout, e pediu que os dados oficiais sejam obtidos para que se verifique se houve “dissimulação” do patrimônio na iniciativa de Graça e Cerveró.

Na quarta-feira, a votação do pedido de bloqueio de bens da presidente da Petrobras foi adiada em razão da revelação feita pelo GLOBO sobre a doação de imóveis. Os ministros decidiram, então, que uma diligência será realizada para comprovar a veracidade das informações.

O relator do processo, ministro José Jorge, prometeu colocar a questão do bloqueio de bens de Graça em votação já na próxima quarta-feira. A tendência é que ele não espere a conclusão da diligência, para que o processo não atrase ainda mais e por entender que as explicações já apresentadas por Graça e Cerveró confirmam a transferência do patrimônio. Nardes e Jorge devem se reunir amanhã para discutir se o melhor é pautar a questão já na próxima sessão.

— Como presidente, tomei providência sobre a diligência deliberada em plenário. Precisamos primeiro comprovar, para depois avaliar se foi dissimulação. O fato é grave, se comprovado. Isso criou um impacto negativo muito grande dentro do tribunal. O processo de tomada de contas especial é longo. Esse é apenas o início do aprofundamento dessa questão, e medidas ainda poderão ser tomadas mais à frente — disse Nardes.

O líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno, protocolou um pedido para que seja anulada a doação de imóveis de Graça e Cerveró. O requerimento foi enviado ao procurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Paulo Bugarin. Para Bueno, as doações se configuram “fraude contra os credores em caso de uma futura responsabilização cível”. Pelo requerimento, a anulação da transação se daria por meio de ajuizamento de ações judiciais, diante de atos “claramente lesivos ao patrimônio da União”. O MP junto ao TCU pode pedir a anulação e o plenário pode determinar a medida, uma vez que já houve decisão do colegiado no sentido de bloquear os bens de dez gestores e ex-gestores da Petrobras.

PSDB VÊ CRIME DE FRAUDE PROCESSUAL

Em outra frente, o PSDB anunciou que pediu à Procuradoria Geral da República que seja aberta investigação de suposto crime de fraude processual. Outros parlamentares da oposição também defenderam que Graça Foster não tem mais condições de se manter no cargo.

— Toda essa movimentação se configura como uma obstrução ao trabalho da Justiça. Eles empreenderam a ação de ocultamento e repasse de patrimônio. É um ato gravíssimo que só suja ainda mais sua gestão à frente da empresa. Graça Foster perdeu a condição de continuar na presidência da Petrobras — afirmou o líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE).

— Se não tivessem a proteção política que têm, isso seria motivo para decretar a prisão preventiva — disse o líder do Solidariedade, Fernando Francischini (PR): — A presidente Dilma, tendo daqui a alguns dias o patrimônio (de Graça Foster) bloqueado, e tentando fraudar a decisão do TCU, não tem mais condição de mantê-la na presidência da Petrobras. Agora, na dialética petista, isso não é motivo para tirar ninguém. Vinicius Sassine, André de Souza e Isabel Braga – Read more: http://oglobo.globo.com/brasil/tcu-vai-investigar-se-houve-dissimulacao-de-patrimonio-de-graca-cervero-13689697#ixzz3B7Zc8Tar

Posted in Econômia, MUNDO, Politica, Profissões, Sociedade | Leave a Comment »

 
%d blogueiros gostam disto: