REPÚBLICA BANANA PEOPLE

Publique sua OPINIÃO Sem CENSURA! DENÚNCIE! Seja Um Colaborador!

Ministro indiano diz que violação é um crime “às vezes certo”

Posted by REPÚBLICA BANANA PEOPLE em junho 6, 2014

Babulal Gaur, ministro do Interior do estado do Madhya Pradesh, com Narenda Madi, primeiro-ministro da ÍndiaBabulal Gaur defende que a violação é um crime que “às vezes é certo, outras vezes é errado” e critica que os responsáveis sejam condenados à morte. Partido do Governo indiano já se distanciou das declarações.

O ministro do Interior do estado indiano do Madhya Pradesh e do partido do Governo Bharatiya Janata (BJP), Babulal Gaur, prestou esta quinta-feira declarações no mínimo polémicas sobre a violência sexual. Segundo o governante, a violação é um “crime social que depende de homens e mulheres”. “Às vezes é certo, outras vezes é errado” e só pode ser condenada se for apresentada queixa.

Estas declarações surgem na sequência de mais um crime ocorrido recentemente na Índia, com duas raparigas de 12 e 14 anos como protagonistas, que foram primeiro violadas em grupo e logo depois enforcadas numa árvore, no estado do Uttar Pradesh, a 27 de maio. Babulal Gaur defendeu os líderes políticos do estado, que foram fortemente criticados por não se terem deslocado ao local da tragédia. E condenou ainda, à semelhança de Mulayam Singh Yadav, chefe regional do partido Samajwadi, as alterações à lei que preveem pena de morte para os responsáveis de violações em grupo. “Há rapazes que vão cometer erros e vão ser enforcados por violação?”, questionou o ministro, citado pelo “The Guardian”.

Primeiro-ministro não comenta

O partido do Governo fez questão de se demarcar dos comentários do ministro, sublinhando que estão em causa “visões pessoais” e não partidárias. Já Narendra Modi, o recém-eleito primeiro-ministro da Índia após uma esmagadora vitória eleitoral do partido nacionalista hindu Bharatiya Janata Party (BJP), prefere manter-se em silêncio sobre os casos de violações. De acordo com a Reuters, o pai e o tio de uma das vítimas dos crimes de 27 de maio tentaram fazer queixa à polícia, mas sem sucesso. Três homens já foram detidos por envolvimento no crime, enquanto dois polícias são suspeitos de tentarem encobrir o caso.

Em média, a cada 21 minutos é feita uma queixa de violação na Índia, mas segundo grupos de Direitos Humanos muitas vezes os casos não são investigados, acabando os violadores por não ser condenados. Na maioria das vezes nem sequer é apresentada queixa, por receio de retaliação. Nos últimos meses têm-se multiplicado também as agressões sexuais a turistas estrangeiras na Índia, aumentando a pressão internacional para que o país não deixe ficar impunes os responsáveis pelos crimes.  – http://expresso.sapo.pt/ministro-indiano-diz-que-violacao-e-um-crime-as-vezes-certo=f874361

Uma resposta to “Ministro indiano diz que violação é um crime “às vezes certo””

  1. Arwen said

    Republicou isso em Arwen Releiturase comentado:
    Uma sociedade na qual os governantes defende que o estupro é um crime menor e pior, que dizem que as vezes é correto é uma sociedade doente.
    Não tem como classificar como “certo” um indivíduo violar o corpo de outro. Dizer que “há rapazes que vão cometer erros e vão ser enforcados por violação?” ou que “Só é crime se for prestada queixa” esse homem está endossando o fato de que as mulheres em seu país não tem valor. Me pergunto se estes homens são filhos de chocadeiras. Só pode. O que eles fariam se fosse a mãe deles, a irmã ou a filha estuprada??? Provavelmente acusariam as coitadas de terem culpa e as prefeririam mortas no lugar do criminoso

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: