REPÚBLICA BANANA PEOPLE

Publique sua OPINIÃO Sem CENSURA! DENÚNCIE! Seja Um Colaborador!

Missão espanhola faz descoberta que pode rever cronologia faraônica

Posted by REPÚBLICA BANANA PEOPLE em fevereiro 10, 2014

Missão espanhola faz descoberta que pode rever cronologia faraônicaEFE –  Missão espanhola faz descoberta que pode rever cronologia faraônica.

Uma missão de arqueólogos espanhóis e egípcios fez uma descoberta em uma tumba no sul do Egito que abre portas à reinterpretação da cronologia faraônica, pois poderia demonstrar que Amenhotep 3º e seu filho Amenhotep 4º, conhecido como Akenaton, reinaram juntos. A missão, liderada pelo arqueólogo espanhol Francisco Martín Valentín, escavou os restos de um muro e as colunas do mausoléu de um ministro da 18ª dinastia faraônica (1569-1315 a.C.) na região de Al Asasif, na província meridional de Luxor.

O grande diferencial da descoberta, explicou Valentín à Agência Efe, é que na escavação foram encontradas gravuras com os nomes de Amenhotep 3º e Amenhotep 4º juntos. Isto, segundo o especialista, “pode confirmar que os dois reis governaram juntos entre nove e dez anos dos 39 de Amenhotep 3º, já que os textos das colunas explicam que eram soberanos do Alto e do Baixo Egito”. “Não há nada semelhante na história faraônica”, afirmou taxativamente Martín Valentín.

O chefe do departamento de Egiptologia do Ministério de Antiguidades egípcio, Ali Asfar, destacou a importância dos nomes destes dois faraós aparecerem juntos. Asfar reconheceu que é muito complicado estabelecer as datas exatas dos reinados faraônicos, mas admite que este caso poderia obrigar a uma revisão das cronologias já estabelecidas, pois “confirmaria que ambos reinaram juntos”.

Reinados mais relevantes
Os reinados de Amenhotep 3º, também conhecido como Amenofis 3º, e de Amenhotep 4º, que entrou para a história sob o nome de Akenaton, estão entre os mais relevantes do Egito Antigo por razões diferentes. O pai governou um país que conheceu um dos maiores períodos de prosperidade e estabilidade interna de sua história, com um longo mandato de quase quatro décadas.

Até agora, os especialistas pensavam que o filho havia se rebelado contra a forma do pai de conduzir o reinado e que, após sucedê-lo no trono após sua morte, adquiriu o nome de Akenaton e instaurou pela primeira vez o monoteísmo, com Aton como deus oficial. No entanto a descoberta, explicou Martín Valentín, dá a entender que pai e filho estavam de acordo nessa autêntica revolução, já que compartilharam o reinado por uma década.

A missão escolheu a tumba do ministro real, identificado como Amenhotep Huy, com a convicção que nela poderiam ser encontrados documentos que confirmassem o reinado conjunto. “Desde 2009 trabalhamos neste lugar, onde escavamos cerca de 400 metros quadrados, e esperamos novas descobertas nos 600 metros quadrados que ainda faltam”, disse o arqueólogo, antes de acrescentar que ninguém tinha escavado antes esse mausoléu inacabado.

Segundo o espanhol, Amenhotep 3º governou entre 1397 e 1340 antes de Cristo, por cerca de 57 anos, enquanto Amenhotep 4º esteve à frente do país entre 1360 e 1348 a. C, ou seja, por 12 anos. A descoberta indicou que foram nesses dez anos de reinado conjunto que teria explodido a chamada “revolução atoniana”. “Acho que tanto o pai como o filho, ou toda a família real, promoveram essa revolução, que deslocou o deus Amon, que era venerado em Tebas, capital faraônica de então”, comentou Martín Valentín. http://entretenimento.uol.com.br/noticias/efe/2014/02/09/missao-espanhola-faz-descoberta-que-pode-rever-cronologia-faraonica.htm

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: