REPÚBLICA BANANA PEOPLE

Publique sua OPINIÃO Sem CENSURA! DENÚNCIE! Seja Um Colaborador!

11 lagos com e sem monstro

Posted by REPÚBLICA BANANA PEOPLE em dezembro 28, 2013

Desde o sagrado Titicaca, entre a Bolívia e o Peru, ao mítico lago Ness, lar da famosa criatura

 

Vista da ilha Amantani, na parte peruana do lago Titicaca. / Thomas Cristofoletti

 

Há lagos de todo tipo: alguns estão no ponto mais alto, outros no fundo de crateras vulcânicas; há cheios de medusas (ou de monstros) e de todas as cores… estes são alguns dos mais espetaculares do mundo.

01 Águas sagradas

LAGO TITICACA (PERU E BOLÍVIA)

Costa leste do lago Titicaca, na Bolívia. / Woods Wheatcroft

Poucos lagos podem presumir ser o berço de uma civilização; o Titicaca é um deles. Segundo os incas, o deus criador Viracocha gerou o sol, a lua e o homem das águas do lago Titicaca; duas de suas mais de quarenta ilhas, a do Sol e a da la Luna, conservam restos de templos incas. O lago ainda é sagrado para os povos andinos: para os uros das flutuantes ilhas de Totora; para os quechuas que pastoreiam alpacas na ilha de Amantaní; para os pescadores que trabalham nestas águas de azul intenso e para os aymara que vivem em suas orlas, cujas animadas festas celebram a vida do lago.

Os centros urbanos do Titicaca mais importantes são Puno (Peru) e Copacabana (Bolívia); a fronteira terrestre pode ser cruzada em Yunguyo ou Desaguadero. Desde Puno, os barcos podem levar a qualquer das 36 ilhas do lago. Uma das maiores é Amantaní, onde é possível viver um encontro com os autênticos descendentes quechua: sem estradas, sem carros, sem eletricidade e por suposto, sem conexão a Internet. Também não há hotéis, mas os moradores das ilhas acolhem aos visitantes em casas particulares. No cume da ilha, a 4.150 metros de altitude, está o templo inca dedicado ao Pachatata, que representa a masculinidade que fecunda a terra.

02 Milhões de medusas

PALAU (MICRONÉSIA)

Snorkel no lago das Medusas, ilha de Eil Malk, no arquipélago das Palau (Micronésia). / Michele Westmorland

As ilhas Palau, um dos diminutos arquipélagos de Micronésia, não são um destino de massas e nem sequer é fácil chegar. Mas ali encontra-se um desses lagos paradisíacos que alimentam os sonhos viajantes. É salgado e está cheio de vida, como se fosse uma sopa gigante de cor turquesa com ingredientes vivos, entre eles, dezenas de milhões de gelatinosas medusas. Estes graciosos seres marinhos fazem piruetas formando um coro infinito de bailarinas translúcidas que não há que temer: milhões de anos de isolamento e evolução fizeram quase inócuas suas picadas, de modo que os mergulhadores têm a possibilidade de se unir a sua delicada dança.

O lago das Medusas está na ilha de Eil Malk, acessível por barco (45 minutos) desde Koror, a ilha mais importante de Palau, onde vive a maior parte da população. É preciso obter uma permissão (25 euros, o equivalente a 80 reais).

03 Tubarões de água doce

LAGO NICARÁGUA (NICARÁGUA)

A fumegante cratera do vulcão Concepción eleva-se sobre a cidade de Moyogalpa e o lago Nicarágua, na ilha de Ometepe (Nicarágua). / Nik Wheeler

Os nahua batizaram a ilha como Ometepe (Dois Cumes), pois nela dois vulcões gêmeos e unidos se alçam desde as profundidades do lago Nicaragua. O maior, Concepción (1.610 metros), está ativo e fumegante. Nestes dois cumes habitam umas 30.000 pessoas, e podem ser encontradas extravagantes pinturas pré-colombianas e bosques cheios de macacos. Além disso, no lago habitam os que atualmente são os únicos tubarões de água doce, embora na verdade são tubarões-touro que se adaptaram a nadar rio acima, desde as salgadas águas caribenhas, e agora podem ser visto embaixo dos vulcões.

Há balsas frequentes que cruzam o lago (uma hora de percurso) e unem San Jorge, na península, com Moyogalpa. Nicarágua é um dos grandes destinos do novo ecoturismo, a ponto de decolar seguindo o rastro de sua vizinha Costa Rica.

04 Passeios lunares

LAGO MYVATN, ISLÂNDIA

Um das crateras vulcânicas do lago Myvatn, na Islândia. / Giuseppe Maria Galasso

No final da década de 60, a NASA enviou a tripulação do Apollo 11 a este estranho local situado ao norte de Islândia para se preparassem seus passeios pela lua. Cheio de ilhotas vulcânicas, o Myvatn é um lago pouco profundo, o quarto maior da Islândia (37 quilômetros quadrados), no que sobressaem formas como crateras, cones vulcânicos ou colunas de lava. Poderemos encontrar também fossas com lodo borbulhante e fontes termais. Entre as experiências mais interessantes que oferece estão os banhos naturais de Myvatn, com sua água turquesa e suas nuvens de vapor, bem como o avistamento de aves.

Reykjahlíð, na orla nordeste, ou a menor Skútustaðir Skútustaðir, no sul, servem de acampamento; para os apaixonados por trilhas, o lago está demarcado por um caminho de 36 quilômetros. Pode ser visitado facilmente durante o dia desde Reykjahio ou de Skútustaöir.

05 Um lago em uma cratera

CRÁTER LAKE (OREGON, EUA)

Área de trilhas ao redor de Crater Lake, em Oregon (EUA). / Jordan Siemens

Também vulcânico, mas completamente diferente do islandês, o chamado lago do Cráter, em Oregon, desenha um círculo de azul puro que se formou há 7.700 anos por uma erupção vulcânica, embora a lenda diga que realmente foi por uma batalha entre os deuses do céu e o inframundo. Tem quase 600 metros de profundidade e um anel montanhoso espetacular. Talvez por isso o ancião do lago não quer ir embora: um tronco de cicuta, visto pela primeira vez em 1896 e branqueado pelo clima, surge na água e se desloca até seis quilômetros ao dia como uma patrulha da guarda costeira.

O lago pode ser visitado todo o ano, embora de outubro a junho costuma nevar; os centros de visitantes atendem de maio a setembro.

06 Onde foi concebido Buda

LAGO MANASAROVAR (TIBETE)

Barracas na orla do lago sagrado de Manasarovar, no Tibete. / Getty

As águas do Manasarovar, uma piscina cor safira que está a 4.556 metros de altura no Himalaya tibetano, são sagradas para hinduistas e budistas. Os primeiros acham que o deus da criação, Brahma, o criou como local de adoración, e os segundos, que aqui foi concebido Buda. Ambos caminham até suas orlas para lavar os pecados em suas águas geladas e percorrer seus 88 quilômetros de perímetro. O colosal monte Kailash (venerado por quatro religiões) contempla este lago solitário. Além de alguns restos monásticos e uns poucos yaks, o pico é a única companhia dos peregrinos.

Aos caminhos do Kailash e o Manasarovar se chega desde Darchen (30 quilômetros ao sul), a quatro ou cinco dias por terra de Lhasa.

07 Uma fada agredida

LLYN E FAN FACH (PAÍS DE GALES, REINO UNIDO)

Esta isolada gota azul, escondida por trás de uma série de colinas selvagens em Gales, é um local encantador e encantado. A história conta que, no século XIII, um agricultor que pastoreava seu gado nas colinas vizinhas viu uma mulher lindíssima. Era um fada que aceitou se casar com ele diante de  uma condição: não podia a agredir mais de duas vezes. Com o tempo ocorreu o inevitável e a esposa do outro mundo desapareceu nas águas do lago, junto de suas vacas mágicas. O vale é agora rico em ervas medicinais e plantas de pântano (talvez o legado da fada maltratada).

Vista do lago Llyn e Fan Fach, junto ao parque nacional de Brecon Beacons, no País de Gales (Reino Unido). / Getty

Llyn e Fan Fach está a 12 quilômetros ao sudeste de Llandovery; há que estacionar cerca da granja Blaenau e seguir o caminho. O lago está justo ao norte do parque nacional de Brecon Beacons, ao sul de Gales.

08 A maior erupção do mundo

LAGO TOBA (SUMATRA, INDONÉSIA)

A erupção do monte Toba há 75.000 anos, atinge o nível oito, o máximo, no índice de explosão vulcânica: a maior eclosão do planeta. É o maior lago de cratera do mundo, uma caldeira de 100 quilômetros de comprimento por 30 de largura, ao norte de Sumatra. O lago Toba é um local tão pitoresco como perigoso, pois o vulcão segue absolutamente ativo. A etnia dos batak vive nesse local e brinda com cálidas boas-vindas (e vinho de palma, uma bebida local) a todo aquele que visite seus precários lares.

Búfalos nas orlas do Lago Toba, em Sumatra (Indonésia). / Sayid Budhi

De Parapat saem barcos a Pulau Samosir, a ilha do lago Toba; em Tuk Tuk, o principal povoado da ilha, há acampamento.

09 Gigante e intermitente

LAGO EYRE (AUSTRÁLIA)

Eyre é, às vezes, o maior lago da Austrália, mas outras desaparece. Assim, mutável é este enorme salar situado na região sul do país-continente. Estende-se 9.690 quilômetros quadrados (quase o tamanho da Holanda) e costuma estar seco e com rachaduras. Mas quando chove, este espaço natural do interior australiano recobra a vida: uma língua azul de água ressurge no deserto, as aves migratórias se jogam no lago, para beber, surgem camarões de água salgada e os sócios do Lake Eyre Yacht Club aparecem para navegar. Na verdade, ele só se encheu totalmente três vezes nos últimos 160 anos, mas o lago é o centro do parque nacional ao que dá nome. Além disso, é o ponto geográfico mais baixo e mais seco da Austrália e um importante território cultural para os aborígenes.

Um avião sobrevoa o parque nacional do lago Eyre (Austrália). / Steve Parish

O melhor local para observá-lo desde terra firme é Halligan Bay. No parque nacional do Lago Eyre também podem ser visitada a famosa cidade do interior de Oodnadatta, a cidade do quartzo de Coober Pedy ou do deserto de Simpson.

10 O jardim do Diabo

LAGOS DE PLITVICE (CROÁCIA)

Esta preciosa rede de 16 lagos interligados por cascatas, Patrimônio Mundial da Unesco, está situada na região croata de Lika, e é um dos espaços naturais mais visitados do país. Aos lagos de Plitvice são conhecidos como o Jardín del Diablo, pois, segundo a lenda, a Reina Negra inundou a zona depois de uma longa seca e inumeráveis orações. A paisagem está cheia de grutas de pedra calcária, e nos lagos superiores os densos bosques cobrem as orlas.

Parque nacional dos lagos de Plitvice, na Croácia. / Corbis

Os amantes da neve devem ir de novembro a março; em dezembro e janeiro os lagos estão gelados. Abrem todo o ano, das 8h às 19h.

11 O monstro mais famoso

LAGO NESS, (ESCÓCIA)

Possivelmente, o lago mais famoso. Sim, o do esquivo monstro ao que os escoceses chamam carinhosamente Nessie, mas que ninguém conseguiu ver, ou sim? Loch Ness é um grande lago nas terras altas escocesas, terra de lendas e histórias misteriosas; uma delas é a deste ser com aspecto de dinossauro que aparece de vez em quando. Em 1934 conseguiram o fotografar (o pescoço e a cabeça) e desde então o interesse foi crescendo e se converteu em um recurso turístico de primeira ordem. Loch Ness está entre Inverness e Fort Augustus, e se decidimos rodear o lago são 112 quilômetros. Os circuitos costumam partir de Inverness, ao norte, até chegar a Drumnadrochit, na orla do lago, onde dois centros de interpretação e um montão de lojas repletas de lembranças contam tudo sobre o célebre monstro.

Um ‘Nessie’ de brinquedo nas águas do lago Ness, na Escócia (Reino Unido). / Dung Vo Trung

Desde Drumnadrochit, a cada hora partem os cruzeiros para buscar Nessie com câmeras subaquáticas e com sonares. www.nessie.co.uk – http://brasil.elpais.com/brasil/2013/12/23/elviajero/1387807328_227709.html

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: